Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Amar...

...em tempo de pandemia!

por C.C., em 31.03.20

FB_IMG_1585520478634.jpgÉ difícil desviar o assunto da pandemia aqui do blogue!
Tenho conseguido abstrair-me, contudo continuo atento às notícias!
Esta foto ilustra bem e de uma forma bem emotiva como deveriam ser as nossas relações neste momento, à distância, sem o toque, sem o beijo, sem o abraço!
Isto é, amar em tempo de pandemia!
É tão complicado para as pessoas perceberem que este estado de emergência não é brincadeira?
É preciso uma imagem mais forte do que esta para mostrar que é em casa que temos de estar, resguardados do contacto social e dos aglomerados de pessoas?
Talvez não atinja os mais insensíveis, eu sei que os há, mas esta fotografia conseguiu mexer comigo e ainda aumentar o meu respeito pelos profissionais de saúde que neste momento combatem na linha da frente a guerra contra o inimigo invisível.
Tenho um amigo enfermeiro, falei ontem com ele, curioso por saber como se estavam a safar na unidade hospitalar onde presta serviço! Não me passou informações privilegiadas, contudo em poucas palavras conseguiu traçar o cenário atual e o que há-de vir, pediu-me para continuar a resguardar os mais idosos, pediu-me para ficar em casa sempre que possível! 
"Uma valente merda!... Não fiques doente!" - Estas foram as primeiras palavras dele!
Portanto, para quê arriscarmos? 
Apenas temos saído para fazer compras, de resto passamos o dia confinados a este t2 que já conhecemos de cor! Não saímos sequer para fazer as chamadas saídas higiénicas!
Sei que no fim deste isolamento estaremos mais gordos, mais presos a nível muscular também, mas depois teremos o tempo todo para tratar desses pormenores, porque o mais importante agora é não apanharmos o bicho invisível, não queremos ficar doentes, não queremos contagiar ninguém, não queremos morrer!
Em breve, poderemos de novo abraçar e beijar os nossos, se bem que, depois disto o contacto com o próximo vai ficar muito mais comprometido!
Mas até lá...
Sejamos todos agentes de saúde pública: protege-te a ti e aos outros!

publicado às 07:11

Uma foto...

...uma história!

por C.C., em 28.03.20

3-pilares-da-fotografia-001.jpg

 

Desafio-vos!
Hoje venho cá para vos desafiar, ou pelo menos deixar-vos a pensar!
Os tempos de isolamento levaram-me a pôr em prática algo diferente para o meu blog e porque não um desafio a todos os que me seguem?
Pois bem, "Uma foto...uma história!", terá como base um tema a ser enviado a um convidado por semana! 
O tema será segredo até ser publicado!
O tema terá que ter sempre uma foto a acompanhar um texto onde o desenrolar da história ficará sempre a cargo do autor!
O pretendido será sempre a realidade, o sentimento pois será sempre com a verdade que podemos inspirar quem nos rodeia!
O convidado será sempre informado do tema por email ao domingo, desafio aceite, terá sempre que me fazer chegar a imagem e o texto até ao próximo sábado, para que o mesmo seja publicado aqui na segunda-feira seguinte!
Prático não?
Já tenho alguns temas em mente, já tenho até temas que mais ao menos já sei a quem os atribuir, contudo, também quero ter de vocês uma resposta a este desafio!
Aceitam?

publicado às 15:45

Quer o destino...

...na TVI!

por C.C., em 27.03.20

MV5BNDhjZWEzNzQtZTJiMi00ZGMzLTk0ODUtYzY1MzBlNmVkNz

Apesar de todo o suspense, drama, tragédia que se está a viver à nossa volta e de toda esta ansiedade que me invade e que não me tem deixado descansar, tenho tentado distraír-me de alguma forma!
Não está fácil, mas há que procurar a distracção, seja num bom filme, seja até numa novela!
E por falar em novelas, alguém assistiu aos primeiros episódios da nova novela da TVI?
Quer o destino...uma história de vingança!
Estreou na passada segunda-feira e posso garantir que me tem entretido!
Continuo a afirmar, as audiências até podem estar do lado de Carnaxide, mas as melhores novelas estão na TVI!
Quer o destino veio para ficar!
E numa altura de pandemia, queira o destino que estejamos livres de toda esta crise em breve!

Quer o destino...
Esta trama conta a história de amor e de vingança de uma mulher que, já adulta, regressa ao local onde foi violada e onde virá a ser surpreendida com a sua capacidade de superação e, também, com algumas das mais vis expressões de maldade humana.
Vitória viu a sua vida dar uma volta de 180 graus quando era ainda criança. Foi violada e assistiu ao homicídio do pai. Passados 14 anos, a jovem volta à casa de família dos seus violadores para, como enfermeira e fisioterapeuta, ajudar a mãe desses homens, Catarina, que sofreu um AVC e está em recuperação. Apesar da dureza de carácter, Catarina, a matriarca da família Santa Cruz, deixa-se prender pela simpatia e pela dedicação de Vitória, o que a levará a fazer tudo pela jovem, até ao momento em que percebe que a sua vida pode pôr em risco a vida dos próprios filhos.

publicado às 11:30

Vão para casa...

...e deixem-me sair!

por C.C., em 24.03.20

Divagação_Antony-Gormley.jpg

 

Chego a um ponto em que quero escrever, escrever, escrever!
Afinal, agora tenho tempo que sobra para fazer tudo e mais alguma coisa, estou de férias, contudo, confinado a estas quatro paredes, não consigo ter outro assunto senão o tema dos últimos dias!
Este isolamento obrigatório ainda mais nos deixa à mercê das notícias que nos chegam por todos os canais televisivos ou até pelos alertas no computador!
Estou doente, sinto-me doente, não só pela dor de garganta que não me tem largado nos ultimos dias, como também pelo estado de ansiedade em que estou...é muita coisa a acontecer ao mesmo tempo, ainda que, como já disse, confinado a estas quatro paredes!
Não morro da doença que anda por aí à solta, morro sim desta clausura que me deixa quase sem ar!
Ainda só passou uma semana de isolamento, se bem que saí duas ou três vezes para compras / farmácia, mas não é o suficiente!
Apetece-me gritar a todos, vão para casa, vão para casa e deixem-me sair!
Estou a desesperar...

Como estão a viver esta pandemia aí desse lado?

publicado às 10:40

Teletrabalho VS Férias

por C.C., em 22.03.20

shutterstock-1638621136.jpg

 

Estive uma semana em teletrabalho e agora meteram-me de férias!
E é assim? Pensei eu ao ouvir as informações dadas ao telefone pelos meus superiores!
Pensei mas não reclamei!
Faz quase dois meses que entrei na empresa, assinei contrato de um ano, quero lá ficar, para que é que vou estar a reclamar?
O volume de trabalho baixou drásticamente, as encomendas estão paradas e o mercado internacional parou de vez, então para que é que vou reclamar?
Demorei a digerir, sinceramente, guardei tudo para mim e acatei a decisão!
Horas mais tarde, quando consegui pensar um pouco mais sobre o assunto, cheguei à conclusão que acatar, foi a minha melhor atitude!
O mundo está em suspenso, a braços com uma guerra contra o invísivel. Sabemos de antemão que a economia vai sair drásticamente abalada desta pandemia. Algumas empresas, lojas, comércio, não vão conseguir aguentar, então para quê me revoltar?
Coloco-me no lugar do meu patrão que de certeza se arrependeu de ter feito as contratações realizadas em Fevereiro e que agora se vê a braços com uma crise sem fim à vista!
No fim disto tudo, apenas espero que tenham consciência que todos estamos a ceder e que quando precisar, estejam lá para me apoiar também!

publicado às 12:15

Covid-19!

Perguntas sem resposta!

por C.C., em 20.03.20

corona1-1-768x506.jpg

Portugal apresenta até ao momento 6 óbitos devidos ao Covid-19 e cerca de 1020 infectados!
É um número que demonstra um crescente do número de casos, contudo abaixo do que certos especialistas tinham indicado nas suas previsões! Ainda bem...
Até agora sabemos que existe um número bem substancial de casos em análise, outros à espera do resultado do exame e outros, infectados, em casa a tratarem-se!
Eu tenho algumas dúvidas relativas à forma como tudo isto está a ser tratado inclusivé acerca das medidas lançadas pelo governo.

As pessoas que estão em tratamento domiciliário, estarão a ser vigiadas? Quem gere a parte do isolamento? Estarão verdadeiramente isoladas da restante família? Saírão para ir às compras ou simplesmente comprar o pão?

O governo ordenou o confinamento aos doentes, idosos e grupos de risco! Quem vigia?

O governo ordenou o confinamento a todos os cidadãos que em teletrabalho ou não, não devem sair de casa, contudo podem sair para passear, fazer algum exercício! Mas o vírus não anda à solta?
Na rua com quantas pessoas nos vamos cruzar?

O governo não ordenou o fecho das empresas, entendo, a economia não pode parar!
Eu estou em teletrabalho, mas na produção estão cerca de 70 pessoas a trabalhar! Onde trabalho, a empresa é pequena, mas quantas mais não existem acima de 100 funcionários? O vírus está onde calha e todos estão a correr riscos de o trazer para casa! Como gerir esta situação?

Os trabalhadores que utilizam os transportes públicos! Não andarão a espalhar o vírus?

Estará o governo à espera que isto fique fora de controlo?

Estaremos nós verdadeiramente livres de algo trágico como a situação actual de Espanha?

Tantas perguntas ainda sem resposta!

publicado às 15:25

Falsa ilusão esta...

...de que tudo estaria bem!

por C.C., em 18.03.20

Hoje, acordei pelas 7h da manhã, quer dizer, o despertador acordou-me! De resto este horário já faz parte da rotina diária que adotei desde que ingressei nesta nova empresa! 
Depois de me vestir e fazer a higiene pessoal, é hora de tomar o pequeno almoço! 
Que ninguém me tire o leite e o pão logo pela manhã! 
Escovo os dentes e saio para trabalhar. 
Na rua, como sempre o trânsito começa a formar-se, felizmente nesta nova empresa, não tenho que me preocupar muito, fica perto e dificilmente chegarei atrasado! 
Muitas famílias que se cruzam na rua, a caminho das escolas onde vão deixar os filhotes... 
É o dia-a-dia, é a rotina! 
A rotina dos Portugueses! 
 

90183853_3918860564798702_483219391719145472_n.jpg

Hoje, acordei pelas 7h30, assustei-me, entro ao serviço às 8h, estaria atrasado! 
Calma Carlos, calma, respira fundo! 
De repente percebo que tive um sonho, de repente sou alertado para a realidade em que estou. 
Falsa ilusão esta de que tudo estaria bem!
O computador da empresa sobre a mesa da cozinha, as minhas cábulas, os meus fones, relembro-me que estou em teletrabalho, relembro-me então do estado actual do mundo, relembro-me que estou em quarentena quase obrigatória!
Tento fazer a rotina normal e preparo-me como se fosse sair de casa para o escritório, nunca se sabe, se tiver uma chamada por skype tenho de estar apresentável! Até gel no cabelo pus!
Tomo o pequeno-almoço enquanto ligo a televisão, quero ver as notícias de última hora, mais medidas adicionais de ajuda às pequenas e médias empresas, não me interessam, sei, sabemos perfeitamente que neste momento o mais importante é combater o vírus, depois teremos a economia do país para tratar!
Olho pela janela e 'vejo' o silêncio lá fora! Não vejo ninguém na rua, não vejos os caminhantes de Santiago, não vejo os comerciantes de peixe, apenas me apercebo de um carro ou outro na estrada!
Estamos em guerra! 
Arrepio-me...
Arrepio-me por estar a viver um filme, daqueles que eu adoro ver no cinema a devorar um balde de pipocas! 
Arrepio-me, porque nunca pensei vivê-lo na primeira pessoa!
Isto é tão irreal...
Liguei com a minha mãe, que aperto, a correr bem só a verei daqui a duas semanas, isto se o estado de emergência for declarado!
Sorrio ao telefone para que ela não note o meu nervosismo, a minha tristeza, o meu medo do incerto, o medo do que pode vir por aí!
Desligo o telefone e sento-me frente ao computador da empresa, não há encomendas, não há quase trabalho nenhum! 
Aos poucos a economia dá sinal de paragem, paragem obrigatória!
Que pesadelo...

publicado às 11:07

Teletrabalho ...

... em tempo de "guerra"!

por C.C., em 17.03.20

20200317_084501-01.jpeg

Os tempos avizinham-se complicados!
Os arautos da verdade dizem que o pior ainda está para vir!
Os que estudam as médias da evolução lançam-nos números assustadores!
E o que vemos nós?
Que efectivamente os números começam a subir, que já sofremos a primeira baixa e que estamos longe de conseguir controlar o inimigo!
Numa guerra convencional, conhecemos quem está para lá da barricada e temos armas para o combater, quanto muito para medir forças! 
Mas nesta guerra, o inimigo é invisível e esconde-se onde menos esperamos!
Felizes os que conseguimos fazer teletrabalho, um pensamento positivo para quem tem de estar a produzir sem poder sair do local!
Energia positiva para os que estão a tentar controlar esta pandemia, para os que estão a cuidar dos doentes e para quem está a padecer da doença!
Espero que os sem abrigo não estejam a ser esquecidos neste período tão complicado.
Nunca é demais apelar ao bom senso das pessoas, resguardem-se, fiquem em casa, não vão à rua só porque sim!
Façam a vossa própria quarentena, nós já estamos a fazer a nossa!
Já o fizemos no fim de semana, agora eu com o teletrabalho e ele por estar no grupo de risco, estamos em casa! Só saíremos para fazer compras ou em caso de urgência!
Estamos a fazer a nossa parte, o nosso dever cívico!
Porque civismo não é só olharmos para o nosso umbigo, mas também protegermos quem nos rodeia!
Esperemos que seja uma quarentena breve!
Protejam-se!

publicado às 10:00

Covid-19 Da pandemia...

...à estupidificação da coisa!

por C.C., em 15.03.20

88346916_1128211197515442_4946120325604573184_o.jp

 


Para quem achava que Portugal iria estar longe desta pandemia, declarada pela OMS, enganou-se!
Muitos de nós, fomos enganados ao ouvir há umas semanas a diretora geral da saúde Graça Freitas a afirmar que dificilmente este vírus nos afetaria!
Muitos de nós, pensaram, isto é coisa de Chineses e se por lá nasceu, por lá morrerá!
Muitos riram-se, muitos desvalorizaram, muitos não acreditaram!
E agora?
E agora que já ultrapassámos os 200 casos no nosso país, as pessoas já não se riem, já não arriscam, acabam por acreditar que existe um vírus à solta!
Louvo a atitude de pelo menos nos últimos dias terem ouvido as diretrizes vindas de cima e acabaram por ficar por casa! Orgulho-me de ver as ruas do Porto quase desertas! Finalmente parece que ouviram...
Não vou falar do amanhã, é incerto, é incerto falar que nos vamos igualar a Espanha ou Itália quando no resto da Europa os números apesar de tudo serem mais animadores! Independentemente do que é incerto, talvez todos tenhamos noção que vai morrer gente...
E por saber isso, recolhi-me em casa, não só por mim, mas também pelos meus, a minha mãe, o meu padrasto! Não os vou visitar e só peço para que se resguardem!
Estou numa espécie de quarentena, mesmo sabendo que amanhã vou saír para trabalhar! Todos nos deveríamos adiantar às medidas governamentais e fazer o que se tem feito na vizinha Espanha, saír apenas para fazer o essencial!
Mas, porque existe sempre um mas, estamos numa pandemia declarada devido a uma estirpe gripal para a qual não existe tratamento, mas às vezes acredito também que estamos num estado pandémico de estupidez!
Meus caros, ontem perto da hora de jantar, saí de casa para comprar batatas e assim que entro no hipermercado, encontro tudo vazio?! Mas onde é que estamos? Será que passaram na televisão medidas de isolamento para um mês e eu não estou a par?
A carne no talho, onde está? O leite, a água, o papel higiénico?
Estão a estupidificar o vírus, só pode ser isso!
Quem lucra com isto? São os donos destes grandes espaços comerciais, pois eles continuam a ter produto em armazém!
Ouvi dizer que num entreposto de um desses espaços comerciais, numa sexta feira normal saem cerca de 44000 paletes de produto, esta sexta saíram mais de 200000!
Esses vão enriquecer, os que açambarcaram hipermercados vão ter produto em casa até 2050 e o pobre que espera o final do mês para poder comprar, ficarão sem nada!
Obrigado a todos os açambarcadores por pensarem nos pobres, só espero que, quando não tiverem o que fazer a tanto papel higiénico, com ele cubram a vergonha na cara que demonstraram não ter com tais atitudes!
Estamos a viver tempos complicados, há quem compare até com uma grande guerra!
Estaremos preparados para enfrentar o que vem por aí?
Protejam-se o mais possível, pensem em vocês, nos vossos, mas também nos que vos rodeiam!
Neste momento temos que saber dar o devido exemplo, não só na precaução como também na solidariedade!
Espero o mais breve possível poder dizer...Estamos livres!

publicado às 16:30

A caminho...

...da Eurovisão!

por C.C., em 09.03.20

Ainda que o povo esteja cada vez mais afastado do certame festivaleiro que se tem revelado este concurso, sobretudo no que toca aos candidatos Portugueses, eu continuo a ser um espectador assíduo!
Alguém viu a grande final do Festival da Cançao?
Eu tinha o meu top 3, sendo que para nos representar lá fora a minha favorita era:

Filipe Sambado - Gerbera Amarela do Sul, que a julgar pela votação do júri nacional, teriam vencido com larga vantagem. Um tema algo diferente e irrevente, o que poderia fazer a diferença em Roterdão, onde terá lugar a grande final da Eurovisão.



Deste meu top 3, a minha terceira opção teria sido :

Bárbara Tinoco - Passe-Partout, confesso que sempre julguei que ganhasse. É também um tema diferente, ao jeito daquilo que a intérprete já nos tem habituado. Poderia também marcar a diferença, principalmente pela presença em palco.

Na grande final do Festival da Canção que ocorreu este sábado em Elvas, quem levou a melhor foi Elisa, que está no meu top 3 sem dúvida alguma, mas em segundo lugar,  tem um poema muito bonito que desde logo me apaixonou!
Gosto imenso deste "Medo de sentir".

Elisa - Medo de sentir


"Eu não era assim
Mas agora tenho medo de sentir
Pergunta ao tempo ele sabe tudo sobre mim 
O que ele guarda, diz tudo o que eu sinto por ti"


O que tem vocês a dizer desta escolha?

 

publicado às 11:07

O mar...

...e eu!

por C.C., em 07.03.20

88346938_2434966630147550_1664567708605218816_n.jp

O mar bravio que me acalma em dias de tempestade, consegue também embalar-me quando se mostra dócil e pacífico!

 

publicado às 21:00

Reflexão...

...de domingo à tarde!

por C.C., em 02.03.20

20200301_170939-01[5175].jpeg

A chuva voltou…
Escolhi o quarto para passar grande parte da tarde de domingo!
Por entre as cortinas vislumbrei o mar e as suas ondas que se debatiam contra as rochas.
As gaivotas em terra ecoavam o seu canto, quando assim é, dizem os mais antigos, é um pronúncio de mau tempo no mar!
Na televisão informam que vamos ter muita chuva e vento a partir das 18h…
Tudo estava em concordância com o que afinal, se revelou verdadeiro!
Tenho passado os últimos dias bastante atento ao caso do vírus vindo da China, o Covid-19! Vejo sempre os noticiários e tento também acompanhar as últimas notícias através da internet.
Existem ainda tantas perguntas sem respostas?!
Em conversa com alguns familiares ouço afirmações como: é apenas mais uma pneumonia, mais uma gripe, a comunicação social é que está a extrapolar, afinal anualmente morrem aos milhares em Portugal devido a estas doenças! Afirmações que parecem descurar os avisos lançados pela OMS e pela DGS!
Fico sem saber sinceramente o que pensar, no que acreditar!
A meu ver e digam-me se estou errado, este não é um vírus qualquer, é altamente contagioso, não tem tratamento e mata quem tem o sistema imunitário mais vulnerável! E ao contrário de outras gripes / pneumonia, para esta estirpe não existem medicamentos ou vacinas que ajam diretamente no combate do vírus!
Não creio que seja necessário entrarmos em histerismos, contudo estar mais atento é imperativo!
Tomar as atitudes preventivas é imperativo também!
É inevitável o contágio no nosso país, contudo, apenas quando isso acontecer e numa escala considerável, tomarei os devidos cuidados como evitar estabelecimentos comerciais, locais com grande aglomerado de pessoas!
Penso por mim, não pelos outros, não quero de todo adoecer e depois, não quero transmitir o vírus aos que me rodeiam e que são mais vulneráveis, como os meus pais!
Se as instituições internacionais alertam, se vemos cidades inteiras em quarentena, morreram pessoas, por que não levar a sério!
Estejamos alerta!

 

publicado às 07:11


Mais sobre mim

foto do autor



O Avesso...Facebook


Mensagens

Calendário

Março 2020

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031